Inmetro/Superintendência de Goiás apreende mais de 3000 produtos

O Inmetro/Superintendência de Goiás, realizou fiscalização no período de 1 a 4 de julho. Foram fiscalizados 59.391 produtos, sendo que 55.974 foram aprovados e 3.407 foram apreendidos, pois estavam com algum tipo de irregularidade quanto aos regulamentos técnicos do Inmetro. Desta forma, o percentual de produtos irregulares em relação ao total fiscalizado foi de 5,75%. As ações fiscalizatórias ficaram voltadas para bicicletas de uso infantil, brinquedos, material escolar, chapas térmicas elétricas para cabelo, ferros elétricos de enrolar cabelo, máquinas elétricas de corte de cabelo (exceto classe III), produtos isentos de certificação com plugues incorporados e lâmpadas incandescentes e fluorescentes. A equipe visitou várias lojas no comércio de Goiânia. Paulo Roberto Pelágio, servidor que fez a fiscalização, falou sobre os principais problemas encontrados nos produtos: “A ausência do selo de certificação de conformidade do Inmetro e componentes proibidos na parte destinada a condução elétrica, foram as principais irregularidades dos produtos verificados”. Paulo disse ainda que essa fiscalização acontece o ano todo, mas que o consumidor deve ficar atento ao selo de conformidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). O alerta foi feito pelo servidor, pois o selo evidencia que antes desse produto ser colocado no mercado, ele passou por ensaios de laboratório e demonstrou atender aos requisitos de segurança estabelecidos no regulamento publicado pelo Inmetro. A fiscalização em comércio tem como foco produtos sem o selo do Inmetro que identifica a qualidade e conformidade do produto.“Os que estiverem fora das regulamentações do Inmetro serão recolhidos e os fabricantes poderão ser multados, podendo também ser aplicados ao dono da loja que não apresentar nota fiscal de origem do produto”, explica o superintendente do Inmetro/Superintendência de Goiás, Marco Aurélio de Andrade Lima. O comerciante que estava com produto irregular foi autuado e terá prazo para apresentar nota fiscal do produto. Com esse documento o Inmetro pode autuar o fabricante que está fora dos padrões de qualidade. Caso não apresente a nota o comerciante é autuado e poderá pagar multa que varia de R$ 100,00 a R$ 1 milhão.